Google+ Followers

quinta-feira, 28 de julho de 2011

População e diversidade cultural no Brasil. ( Cap. 22 Pgs. 353...)

• Nação brasileira como projeto político esboçado no império.

• Existem raças ou etnias?

Formação da etnia brasileira

o “cunhadismo”

o “brasilíndio” e sua “guerra” por autoafirmação.

o “nheengatu”, tupi falado em boca de português, ou “língua geral”que dominava o território.

os negros de várias etnias, estratégia de fragmentação dos colonizadores.

os escravos negros, os afro-brasileiros e os brasilíndios do nordeste seco como disseminadores da língua portuguesa.

o ”afro-brasileiro”, o mulato: gente de serviço; provedores de gêneros e pescadores; o “malandro” no Rio de Janeiro.

os “crioulos”, portuguêses nascidos na colônia: proprietários de terras, camponeses e aventureiros.

Duas miscigenações, a física e a cultural.

 Por que ocorreu a miscigenação física? Qual é a relação desse fato com a diferença entre “colônia de povoamento” e “colônia de exploração”?

• A histórica negação do caráter mestiço de nosso povo. A negação de tudo que não é espelho.

A crença na inferioridade biológica do negro, do índio e mais ainda de suas misturas.

Após a Lei Áurea, o preconceito quanto ao trabalho do ex-escravo.


Teoria de Democracia Racial.

O confronto entre “raças” no Brasil foi evitado com a miscigenação que trouxe a harmonia social?

 A favela é a nova senzala? Até que ponto?

 No Brasil, há discriminação étnico-racial, social ou ambas se confundem?

 Quem é mais discriminado, o índio, o negro, o mestiço ou o pobre?

Políticas Afirmativas.

reconhecimento de propriedade dos Quilombos.

cotas para afro-descendentes, indígenas e alunos de escolas públicas nas universidades públicas.

leis contra discriminação racial.

 As Políticas Afirmativas podem ser vistas como nova negação do caráter mestiço predominante em nosso povo?

  •  O IBGE e seus atuais cinco grandes grupos de cor:

 Branco

 Pardo

 Preto

 Amarelo

 Indígena

Africanidade

Os negros do Brasil foram trazidos principalmente da costa ocidental africana.

Três grandes grupos:

O primeiro, das culturas sudanesas, é representado, principalmente, pelos grupos YORUBA, chamados NAGÔ; pelos DAHOMEY, geralmente denominados GEGÊ; pelos FANTI-ASHANTI, conhecidos como MINAS; além de muitos representantes de grupos menores da Gâmbia, Serra Leoa, Costa da Malagueta e Costa do Marfim.

O segundo grupo trouxe ao Brasil culturas africanas islamizadas, principalmente os PEUHL, os MANDINGA e os HAUSSA, do norte da Nigéria, identificados na Bahia como negros MALÉ e no Rio de Janeiro como negros ALUFÁ.

O terceiro grupo cultural africano era integrado por tribos BANTU, do grupo congo-angolês, provenientes da área hoje compreendida pela Angola e a “contra-costa”, que corresponde ao atual território de Moçambique.

Centenas de povos tribais que falavam dialetos e línguas não inteligíveis uns aos outros.

As diferenças religiosas também os desunia.



Difusão da Língua Portuguesa.



No Nordeste açucareiro, a “língua geral” foi prontamente substituída pelo português. Isso porque sua população principal de escravos e afro-brasileiros, sendo compelida a adotar a fala do capataz pra se comunicar com os outros escravos, realizou o papel de consolidar a língua portuguesa no Brasil. Mais tarde a escravaria maciça, conduzida para a região mineira no centro do território, cumpriria a mesma função de introdutora da língua portuguesa.

O brasilíndio do nordeste seco (“cabeça-chata” do sertão, filho de mulato com índio tapuia), que foi quem ocupou as maiores áreas do Brasil, tangendo gado, não adotou nenhuma língua das regiões que habitou, mas foi outro difusor da língua portuguesa, porque seguramente já saíram do litoral lusitanizados.







Fonte: Ribeiro, Darcy. O povo brasileiro: evolução e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia da Letras, 1995.


Questões:

Com base nos textos, explique os enunciados abaixo.

1. Observa-se que a língua foi um importante fator de controle social e estabelecimento de território na colônia Brasil.

2. Religiões diferentes entre os escravizados facilitava sua escravização.

exercícios

1. Na formação do povo brasileiro, é inadequado falar em miscigenação racial.




• Faça uma resenha crítica sobre o enunciado com base em nossos estudos sobre o tema.

• É obrigatório o emprego das palavras: etnia (variações); brasilíndio; afro-brasileiro;

exercícios.

2. “O surgimento de uma etnia brasileira, inclusiva, que possa envolver e acolher a gente variada que aqui se juntou, passa tanto pela anulação das identificações étnicas de índios, africanos e europeus, como pela indiferenciação entre as várias formas de mestiçagem, como os mulatos (negros com brancos), caboclos (brancos com índios), ou curibocas (negros com índios).”




Identifique os possíveis antagonismos entre a idéia central do texto de Darcy Ribeiro, as políticas afirmativas e a classificação por grupos de cor do IBGE.