Google+ Followers

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Africanidade

Os negros do Brasil foram trazidos principalmente da costa ocidental africana.

Três grandes grupos:

O primeiro, das culturas sudanesas, é representado, principalmente, pelos grupos YORUBA, chamados NAGÔ; pelos DAHOMEY, geralmente denominados GEGÊ; pelos FANTI-ASHANTI, conhecidos como MINAS; além de muitos representantes de grupos menores da Gâmbia, Serra Leoa, Costa da Malagueta e Costa do Marfim.

O segundo grupo trouxe ao Brasil culturas africanas islamizadas, principalmente os PEUHL, os MANDINGA e os HAUSSA, do norte da Nigéria, identificados na Bahia como negros MALÉ e no Rio de Janeiro como negros ALUFÁ.

O terceiro grupo cultural africano era integrado por tribos BANTU, do grupo congo-angolês, provenientes da área hoje compreendida pela Angola e a “contra-costa”, que corresponde ao atual território de Moçambique.

Centenas de povos tribais que falavam dialetos e línguas não inteligíveis uns aos outros.

As diferenças religiosas também os desunia.



Difusão da Língua Portuguesa.



No Nordeste açucareiro, a “língua geral” foi prontamente substituída pelo português. Isso porque sua população principal de escravos e afro-brasileiros, sendo compelida a adotar a fala do capataz pra se comunicar com os outros escravos, realizou o papel de consolidar a língua portuguesa no Brasil. Mais tarde a escravaria maciça, conduzida para a região mineira no centro do território, cumpriria a mesma função de introdutora da língua portuguesa.

O brasilíndio do nordeste seco (“cabeça-chata” do sertão, filho de mulato com índio tapuia), que foi quem ocupou as maiores áreas do Brasil, tangendo gado, não adotou nenhuma língua das regiões que habitou, mas foi outro difusor da língua portuguesa, porque seguramente já saíram do litoral lusitanizados.







Fonte: Ribeiro, Darcy. O povo brasileiro: evolução e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia da Letras, 1995.


Questões:

Com base nos textos, explique os enunciados abaixo.

1. Observa-se que a língua foi um importante fator de controle social e estabelecimento de território na colônia Brasil.

2. Religiões diferentes entre os escravizados facilitava sua escravização.

13 comentários:

  1. 1) A língua estabeleceu ao longo da difusão da linguagem lusitana a função de integrar as regiões brasileiras e possibilitar acordos sociais e territoriais entre nativos e europeus.

    2) A estratégia de colonização utilizada pelos portugueses de traficar negros de diversas etnias, e que consequentemente possuiam línguas diferentes, possibilitou a falta de comunicação entre os escravizados, tornando-os mais fracos e mais submissos às vontades dos lusitanos, pois não havia a possibilidade de revoltas de grande escala até que um grande número de africanos podessem se comunicar. Este fato foi de importíssimo valor ao controle da metrópole na colônia, atrasando o processo de uma possível independência, como foi no caso do Haiti.

    ResponderExcluir
  2. 1.
    A lingua portuguesa, lingua do capataz,tornou-se um "meio" fundamental para unir as demais regiões brasileiras.Os escravos, provenientes de diversas tribos africanas com dialetos diferentes, tinham como única opção para poder se comunicar entre si e com o capataz, o aprendizado da lingua portuguesa. Tornando-se o principal meio de difusão da lingua.
    2.
    Os escavos,pertencentes de diferentes tribos além de dialetos diferentes possuiam também culturas diferentes. Os portugueses utilizavam a estratégia de capturarem escravos de tribos diferentes a fim de manter maior controle sobre eles. Sendo de tribos diferentes e inimigas, os escravos não poderiam se unir para poder se revoltarem contra seu "dono".

    ResponderExcluir
  3. 1-Ela ajudou a formar uma identidade nacional e a integrar o território brasileiro,sendo seu maior difusor os escravos africanos, pois como eram de etnias diferentes encontraram em uma língua em comum um jeito de se comunicar.
    2-Os portugueses usaram como estratégia escravisar africanos de etnias diferentes, muitas vezes inimigas, assim dificultaria uma ribelião.
    2ano 202 n32

    ResponderExcluir
  4. 1 e 2) Línguas e religiões diferentes eram dois fatores importantes para escravizar africanos, já que tais diferenças e rivalidades étnicas dificultavam a união dos mesmos para posterior revolta contra os traficantes de escravos que os traziam para o Brasil. Além disso, essas diferenças os forçavam ao aprendizado do português para a mínima comunicação, e aderência ao cristianismo, uma vez que os padres naquela época afirmavam que qualquer outra religião poderia levá-los ao inferno, facilitando a submissão aos seus senhores.

    2º ano, n° 08.

    ResponderExcluir
  5. 1- A língua portuguêsa foi um importante fator para o controle social e para o estabelecimento de território na colônia do brasil,pois os portuguêses foram extremamente inteligêntes,no qual trouxeram vários escravos de etnia diferentes,ou seja,eles não se comunicavam através da mesma língua,além de serem rivais.
    O objetivo dos portuguêses,era que eles não se comunicassem,que no qual corria o risco de se juntarem contra os lusos.Para que eles pudessem se comunicar foram precisos aprender a falar tupi.

    2- Os portuguêses com a excelente idéia de trazerem escravos de diferentes etnia,que no qual eles,além de serem rivais e ter cada um sua religião,eles não conseguiam se comunicar,pois falavam línguas opostas.
    Assim os lusos se previniram de que se os africanos falassem a mesma língua,eles podiam organizar uma revolta contra os portuguêses,que levariam a sua liberdade,como aconteceu no Haiti, aonde os escravos fizeram a indepêndencia.
    Como não se comunicavam,os lusos conseguiram escraviza-los,nessas circustância o único jeito dos escravos foram aprender a falar tupi.Depois de aprenderem a falar a língua deles, foi mais facil chegar ao outro passo dos portuguêses que era a questão da religião.
    Os padres daquela época afirmavam que as religiões que eles acreditavam eram mentiras,que qualquer religião que eles acreditassem que não fossem a deles,podiam levá-los ao inferno,que era pecado,com essas afirmações e no medo de se torna-las verdades,eles foram facilmente catequisados.

    2º ano. Nº31

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Érica Abdalla - Voltaire Itaipu, 202, nº 15

    Quando um grupo possui etnias diferentes, eles diferem nos hábitos culturais, língua, religião etc.
    Vieram para o Brasil negros das mais variadas nações, pois era política colonial portuguesa diversificar a composição dos africanos para dificultar sua unidade e mantê-los submissos.
    Havia, portanto, diferentes grupos étnicos, com uma grande variedade de línguas.
    A falta de unidade impossibilita qualquer tipo de revolta por parte dos escravizados para tentarem mudar a situação em que se encontravam.
    Tudo isso foi feito por estratégia de fragmentação dos colonizadores.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Nathalia Iglezias, turma 202, nº 33 - Voltaire Itaipu

    1-A introdução à Língua Portuguesa pelos escravos, por necessidade da comunicação entre os escravos, tendo em vista que eram de etnias diferentes, acarretou não só na difusão do dialeto por todo o território nacional, como a criação de uma identidade nova, dos nascidos no Brasil, adeptos a Língua Portuguesa.

    2-A ideia dos Portugueses de trazer escravos de etnias, culturas e religiões diferentes, foi inteligente, pois dificultaria muito a comunicação entre os negros e, em resultado disso, tornaria quase impossível o planejamento de fugas, rebeliões e revoltas contra seus donos, tendo em vista que assim suas linguagens, seus costumes e suas diferentes maneiras de guerrear os desuniam. Ao contrário disso, uni-los neste sentido, os fortaleceria muito. Lembrando também que apenas a escravização de negros foi permitida pela Igreja, pelos negros serem considerados "criaturas", "bestas" e "sem alma".

    ResponderExcluir
  10. 1 e 2) Com base em nossos estudos percebemos que na época da colonização do Brasil, como estratégia de fragmentação, os portugueses escravizavam os africanos de diversas etnias, ou seja, grupos que possuem hábitos culturais, línguas e religiões diferentes, o que dificultava uma possível insuureição. Como os escravos eram trazidos sem família e obrigados a conviver com outros que não compreendiam sua língua, acabavam por aprender o português por necessidade, além do mais foram catequizados esquecendo-se de suas crenças religiosas. Isso causou a perda da identidade dos escravos africanos, o que proporcionou um maoir domínio lusitano sobre estes.

    Larissa G. Nogueira Louzada(23), turma 202; Segundo Ano do Voltaire de Itaipu.

    ResponderExcluir
  11. Priscilla Blondet - nº 35, sala: 202 - Voltaire Itaipu

    Os colonizadores transportaram povos de diferentes regiões para o Brasil, uma estratégia. A falta de comunicação entre os colonizados(por falarem idiomas distintos), diferença religiosa(cada religião possui uma crença, cada povo uma cultura, uma visão de mundo), e também étnica. Era como cada um por si, não se podia confiar em ninguém, não havia comunicação. Por este motivo, eram obrigados à se submeter aos colonizadores. Ninguém gosta de ser escravizado. E muito menos viver com 'estranhos' e não conseguir ao menos falar com eles para organizar uma fuga. Para isso, precisavam ter um idioma em comum. E como os colonizadores falavam o Português, os escravizados eram frequentes ouvintes, foram 'forçados' à aprender este idioma, sem contar com os que foram catequizados.

    ResponderExcluir
  12. 1 e 2 )O portugues foi um importante fator para esse controle social e para o estabelecimento de território na colônia do brasil, foram trazidos pelos portugueses escravos de etnia diferentes com o objetivo de fazer com que os escravos não se comunicassem por isso trazendo essas diferentes etnias, o que dificultava as revoltas. Os escravos para conseguirem se entender, tiveram que aprender uma língua que fosse comum a todos, o tupi. E a diferença entre as religioes só aumentava a distancia entre as muitas etnias, fazendo com que os escravos ficassem desunidos e evitando possiveis revoltas entre os negros.

    ResponderExcluir
  13. Camilla de Moraes, nº 10 - Voltaire Itaipu, 202

    1- Os portugueses foram inteligentes demais ao trazer para o Brasil, africanos de diferentes regiões. Onde diferem religião, a língua, costumes e etc, para que com isso eles não pudessem se comunicar entre si, e fazer uma aliança para acabar com a escravização e assim começando uma "guerra" contra os portugueses. Com isso, os portugueses "domavam" o controle da situação da colônia brasileira deixando os negros africanos submetidos aos mesmos.

    2- Com essa estratégia de trazer africanos de diferentes regiões, os africanos tinham diferentes crenças e línguas, havia obstáculos para se comunicarem. Então isso possibilitava que fossem escravizados facilmente, não podendo lutar por seus direitos.

    ResponderExcluir

Faça seu comentário estabelecento o máximo de relações entre as ideias, representações, categorias e conceitos estudados.