Google+ Followers

quinta-feira, 8 de julho de 2010

REFLEXÕES SOBRE A COPA DO MUNDO E SUAS IMPLICAÇÕES.



Por Cássio Cardozo Silva*



A copa do mundo de futebol é um grande evento esportivo de gigantescas proporções e que desde o seu “nascimento” , em 28 de fevereiro de 1930, tem tomado conta do cenário global. É realizada de 4 em 4 anos representando o auge da atividade esportiva denominada futebol.

No entanto, há questionamentos que devemos analisar com relação à própria natureza de seu caráter, tais como: qual o real objetivo do evento? Quais serão os grupos de interesses envolvidos com sua realização? A copa do mundo de futebol 2010 realizada na África do Sul traz benefícios para toda a população sul-africana? Será que atualmente não ocorre de fato alguma marca do regime segregacionista representado pelo APARTHEID? Dentre muitas outras questões a serem respondidas.

A copa do mundo caracteriza-se por uma disputa acirrada entre grandes grupos empresariais, mascarada em nacionalismo e escondida atrás da paixão de diversos povos para com os times que representam seus países. Portanto, desde a sua criação, o referido evento vem perfazendo-se pela “capitalização”,ou melhor, “mercadorização” do futebol, não fugindo a regra, a copa do mundo de futebol deste ano.

Nesta última, no entanto, todo o luxo e exuberância atribuídos ao suposto evento contrastam com a situação sócio-econômica a qual está submetida a maioria esmagadora do povo africano, que é proveniente de todo um longo processo histórico que se inicia no período colonial (escravidão), passando por importantes momentos sóciopolíticos e ideológicos como o APARTHEID (1948-1992) e chegando aos dias atuais onde vigoram o imperialismo econômico e a imposição cultural provenientes do processo de globalização econômica.

Com relação a este último assunto, podemos mencionar o racionamento de energia imposto a população sul-africana para sustentar a demanda energética exigida ao funcionamento dos estádios, ou melhor, da engrenagem capitalista. Podemos adicionar também a questão da existência de uma segregação racial, herança do regime do APARTHEID e cujo retorno é defendido por muitos indivíduos de cor branca.

Apesar de tudo isso a copa do mundo de 2010 é capaz de gerar empregos para muitos africanos; gerar divisas internacionais (investimentos diretos, conta turismo, etc); proporciona uma maior inserção da África do Sul na economia global, promovendo a divulgação das potencialidades turísticas do continente africano. Embora a maioria desses benefícios seja absorvida por uma parcela elitizada da sociedade.

Conclui-se então, diante dos argumentos apresentados, que a copa do mundo embora traga alguns benefícios à população, carrega em seu bojo uma cortina de interesses de grandes empresas que, por sua vez, geram desigualdades sócio-econômicas por motivos provenientes do próprio caráter do sistema capitalista.





* Cássio Cardozo Silva é aluno da 2ª série do ensino médio do Voltaire Icaraí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário estabelecento o máximo de relações entre as ideias, representações, categorias e conceitos estudados.